Marque a sua consulta
Os dados recolhidos destinam-se apenas a tratamento interno da clínica e não serão facultados a terceiros.
O preenchimento deste formulário está sujeito a confirmação e não vincula a qualquer consulta ou pagamento.
A carregar...

Endoscopia digestiva alta

A endoscopia digestiva alta é um exame que permite observar o esófago, estômago e porção inicial do intestino delgado (duodeno).
Após anestesia local da garganta procede-se à introdução pela boca de um endoscópio fino e flexível e, desse modo, é possível detectar eventuais lesões nesses órgãos.

Preparação:

  • Para a realizar o exame deverá ter o estômago vazio.
  • Não pode comer ou beber nas 6 horas anteriores ao exame.
  • Se necessitar de tomar comprimidos, deve fazê-lo apenas com um pouco de água. Não deve tomar xaropes ou outros líquidos.
  • Se é diabético(a) – não faça a respectiva medicação.
  • Avise o médico ou enfermeira caso sinta fraqueza extrema, suores frios ou outra anomalia.
  • Se já foi submetido a cirurgia cardíaca ou gastrintestinal – informe-nos.

Como irá decorrer a endoscopia digestiva alta?
  • Quando chegar à sala de endoscopia deverá retirar os óculos, lentes de contacto e próteses dentárias.
  • Informe o médico se sofre de alergias a medicamentos.
  • Vai ser deitado(a) numa marquesa, sobre o seu lado esquerdo e receberá anestesia local na garganta, na forma de spray ou gel, com sabor algo desagradável mas importante para diminuir o reflexo da tosse e/ou vómito.
  • Em geral, o exame é rápido, indolor e não dificulta a respiração.
  • No decurso da endoscopia poderá ser necessário a colheita de pequenos fragmentos para análise (biópsias) ou polipectomia (remoção de um pólipo).
  • Estes procedimentos são indolores mas tornam a endoscopia um pouco mais demorada.

E depois do exame realizado?

Após a endoscopia poderá sentir a garganta “encortiçada” ou dorida durante algum tempo (menos que 1 hora), pelo que não deve comer ou beber enquanto sentir esse incómodo (pode-se engasgar).
Mesmo que não seja necessário sedação, é desejável vir acompanhado.

O exame tem riscos?
Podem ocorrer muito raramente complicações (menos que 1 em 1000 exames). Estas podem-se dever à medicação, à ocorrência de perfuraçôes ou a hemorragias. Ocorrem predominantemente em pessoas idosas, em indivíduos gravemente doentes e em exames urgentes ou terapêuticos. Se tiver dor forte, fezes pretas ou de alcatrão, vómitos intensos ou febre – contacte o gastrenterologista assistente ou dirija-se ao serviço de urgência mais próximo.


O consentimento para realização do exame pressupõe esclarecimento de todas as suas dúvidas junto do médico especialista.


Especialista(s):

Dr. João Baranda


Acordos:

Saber mais


Clínica:

Pinhalmed 1 – Policlínica e Fisioterapia